sábado, 3 de abril de 2010

o amor. II

'quanto mais você conhece uma pessoa, mais devería amá-la*

porque essa deveria ser a linha cronológica do amor. deveríamos conhecer uma pessoa. conhecer suas qualidades e seus defeitos. entendê-los, acima de tudo. compreender que para um relacionamento funcionar, o entendimento é primordial. deveríamos então nos apaixonar por ela. sabendo de todos os seus defeitos e fazendo com que eles fossem o ponto principal que fizessem nós nos apaixonarmos. porque depois de algum tempo, com a convivência, esses defeitos fariam com que a pessoa se parecesse ainda melhor. as surpresas seriam cada vez melhores.
mas não é assim que acontece. primeiro conhecemos uma pessoa. conhecemos o que a pessoa quer mostrar. não realmente a conhecemos. acabamos nos apaixonando por uma imagem que criamos dela. ou pior ainda, uma imagem do que a pessoa gostaria de ser. e com o tempo, conforme deixamos nos envolver, vamos descobrindo os defeitos tão bem escondidos. defeitos que poderiam ter nos feito apaixonar ainda mais, se não fosse tamanha surpresa.

'é, o amor é assim*

Nenhum comentário:

Postar um comentário