segunda-feira, 4 de outubro de 2010

descompassado.

sabe o que é? desculpe desapontar, mas essa não sou eu. não sei andar na corda bamba. odeio não saber o que esperar. detesto fechar os olhos e não saber se você estará lá quando eu acordar. não consigo conviver com a dúvida. não sei ouvir seu nome e fingir que foi do nada. não dá para me encaixar só na parte errada da sua vida.
o que você conheceu foi uma exceção. foi o meu coração implorando por qualquer fiapo mínimo de esperança, implorando para voltar a ser o que era antes. só que o antes não está aqui. a confiança faltou hoje. o contentamento em ouvir um elogio não veio. a vontade de descobrir aos poucos e dificilmente foi embora.
não me reconheço mais. nem milhões de respostas ajudariam.

‘o que eu desejo a você é que os deuses do amor estejam a te proteger. e que o verão no seu sorriso nunca acabe. e aquele medo de viver um dia se torne um grande amor’

Um comentário:

  1. Lii*, quando encaixamos só na parte errada da vida de alguém, é hora de pegar a trouxinha do amor próprio e da dignidade e alçar voo. E sempre nos reconheceremos, só se precisa de uma resposta, a que temos do início ao fim da existência: sermos fiéis a nós mesmos. Ninguém será feliz, ou fará alguém feliz, se gosta de fazer-se infeliz. A vida não sorri aos fracos.
    Beijos, minha menina.

    ResponderExcluir