sábado, 20 de novembro de 2010

checkmate


ela é o meu oposto. o extremo oposto de tudo que eu sou, de tudo que acredito.

eu sou prosa, ela é carnaval. eu sou sépia, ela é cor total. eu me esforço para estar por perto, ela parece estar por perto mesmo que não queira. eu sou calmo, tranquilo e da paz. ela é ciumenta, possessiva, neurótica e sabe me arrepiar como ninguém. ela sorri e meu mundo pára. ela me abraça e parece que toda a maldade do mundo se desfaz. ela me beija e eu sinto no seu corpo toda a certeza que preciso. ela diz que vai ficar tudo bem. e eu, de alguma forma, acredito. acredito no oposto que me completa.

2 comentários:

  1. Vc é cantiga de amigo...virou trovadora...que troca de gênero, o Chico Buarque te imita nisso hein...cuidado!

    ResponderExcluir