terça-feira, 25 de janeiro de 2011

beé


Admiro o que você sente por mim. Mesmo depois de tudo o que eu fiz e de tudo o que eu faço, você ainda está aqui. Talvez seja a única pessoa que esteja aqui, sabendo o jeito que eu sou.
Às vezes até me pergunto do por que de tudo isso. Do por que você gostar tanto assim de mim. Porque cá entre nós, eu não sou exatamente a melhor pessoa do mundo. Ou melhor, não chego nem perto disso. Não sou a mais bonita dentre as mulheres que você tem nem sou a mais simpática. Sou um poço de grosseria! Não tenho paciência para dramas e não gosto de sorvete. Meu senso de humor é duvidável e não entendo indiretas. Morro de medo de palhaços e sou extremamente orgulhosa. O orgulho, aliás, é o que me afasta de você. Aquela sensação de que tentar de novo seria algo fadado ao fracasso. Não conheço nem metade dos lugares que você conhece e talvez não chegue a conhecê-los. Ou então, talvez eu rode o mundo e acabe ficando do outro lado do oceano, como sempre ameacei fazer.
Você, que sabe o quão dedicada, estúpida e amorosa eu posso ser. Você, que ouve insistentemente cada loucura e cada ideia maluca que eu tenho. Você, que nunca desistiu do que eu poderia ser. Você, que viu o que a maioria das pessoas não consegue ver: alguém melhor. Alguém que por trás de toda a brutalidade e de todas as cores, vive no preto e branco. Alguém que não quer nada além de uma casa na praia e alguém para se contar piadas ruins. Alguém que tem preguiça de se arrumar, alguém que cortaria o cabelo curtinho só pra poupar trabalho. Alguém que dorme mais que o necessário mas que viraria a noite apenas para continuar uma conversa. Alguém que sorri com a boca, com os olhos e com o coração. Alguém que está na tentativa incessante de te entender. Meu desafio particular.

Um comentário:

  1. Nossa, eu conheço alguém q se encaia muiitooo bem nesse perfil. Muito bom. Abraços.

    ResponderExcluir