quinta-feira, 10 de março de 2011

não mata, não engorda, mas faz mal.

E pela primeira vez em muito, muito tempo, me faltaram palavras naquela hora. Perdi o controle, baixei a guarda, rompi o escudo. E como se essa perda você também pudesse sentir, vi nossos olhares se cruzarem. Como se o som do nosso encontro fosse palpável, você também ouviu. Você, como já havia acontecido antes, sentiu a ligação pulsar mais uma única vez. Você também perdeu o controle, eu sei. E te vi largar o que segurava.
Não pude lidar com aquilo de maneira digna. Percebi as lágrimas se formando e o coração começando a doer. Daria tudo para que aquele olhar, aquele de tantos meses atrás, fosse o último. Para que aquela noite fosse a última notícia que teria de você. Não estava preparada pra o que aconteceu depois. Não estava preparada para a vida sem escudos, ainda que por só um instante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário