segunda-feira, 25 de abril de 2011

só um erro.

Gostei da sua cara de espanto quando eu disse que escrevia. Como se escrever estivesse completamente fora do meu mundo. Como se escrever me fizesse uma pessoa estranha, me fizesse diferente. Mas o ainda mais estranho foi o fato de eu ter gostado. Ou adorado. Porque, no meio de pessoas iguais e constantes, eu gosto de ser a incógnita. Gosto de ser a surpresa. Gosto da expressão de choque que causo às vezes.
Engraçado também como me surpreendo com você. Como se não houvesse a quem agradar, como se o mundo tivesse que se adequar a tanta sinceridade e a tanta falta sutileza. E é por isso que é bom. Porque você se destaca. Você se faz diferente. E essas nuances tão pequenas duram muito mais do que a cara de espanto que você me fez.

that's what I can do if I'm not drunk. don't try to make me write more.

2 comentários:

  1. É bom passar por aqui... Desse modo, apesar da distância, posso ter uma 'dose' de Aline de vez enquando!

    Saudades imensas... você nao faz ideia do quanto.

    ResponderExcluir
  2. Faço sim. Você faz uma falta inimaginável.

    ResponderExcluir