domingo, 17 de julho de 2011

super hero



Desenvolvi uma estranha necessidade de sua aprovação. Isso já havia acontecido uma vez, só que na época não me pareceu tão necessária assim. Sua bênção sobre minha felicidade não faria tanta diferença assim, como não fez, no fim das contas. Foi um tortuoso caminho, longos meses me vendo dividida entre o que eu achava e o que de fato era certo. E claro, escolhi o caminho errado.
Mas eu li algo que faz sentido. Acontecem coisas boas que não teriam acontecido se tudo tivesse dado certo. Claro que a frase faz absurdo sentido para mim. Como gato escaldado tem medo de água fria, estou me certificando para que dessa vez esteja tudo do jeito que você sempre quis. Que dessa vez, eu possa acordar em pleno janeiro, me sentar naqueles banquinhos azuis de que tanto gosto e esticar minhas mãos embaixo da mesa. E que encontre com pernas que tanto estão me dando força hoje. E que eu possa olhar mais além e ver seus olhos daquele jeito que eu tanto gosto, como se uma corrente percorresse meu corpo e me fizesse ter certeza de que pensamos exatamente a mesma coisa.



'I'll be your little girl forever'

quinta-feira, 14 de julho de 2011

milagre.



Não serei hipócrita aqui a ponto de dizer que era infeliz antes de você surgir. Isso é óbvio. A minha vida seguia um fluxo confortável e conhecido, nada que ameaçasse essa maré calma. Eu tinha uma promessa de futuro estável, uma rotina habilmente preenchida com o que eu mais gosto e sem tempo para outras bobagens. E estava muito bem assim.
Lembro-me de dizer, alguns dias antes de nós acontecermos, que amor não estava nos meus planos para o momento, que não era o período ideal para isso. Mas desde quando nós escolhemos o que ainda está por vir? Você veio aos poucos, tomando forma na minha cabeça. Fui vendo quem estava por trás de toda aquela marra vista no primeiro momento. Contrariando o que eu achava norma, foi-se criando sentimento aos poucos. Não daquela forma arrebatadora que eu estava acostumada. Mas de um jeito calmo, como pedia o momento. Você foi ganhando espaço em cada semelhança descoberta, em cada sorriso meu que escapava de minha boca. Quando dei por mim, aqui estava você. Não ocupando mente, corpo e coração, como já aconteceu um dia. Mas de um jeito muito mais maduro e muito mais tranquilo. Está aqui lado ao lado, dividindo o peso do mundo com meus ombros, tornando a caminhada cada dia mais leve. Peso que hoje consigo carregar sozinha também, à propósito.

'say what you need to say'

segunda-feira, 11 de julho de 2011

cheddar, prato ou suiço?



Repassando esse dia quando deitei, cheguei à conclusão que não vou esquecer mesmo o sorriso que aquela senhora me deu.
Estávamos ali, eu e você, naquela típica discussão de casal. Entre idas e vindas, concessões e risadas, nos decidimos. Enquanto olhava a moça preparando nossa tão discutido pedido, uma voz pediu um agradinho. Quando olhei naquela direção, um sorriso e uma piscadinha, aquela de vó, me fez sorrir também. Um olhar de quem sabe das coisas, de quem vê muito mais do que o resto da humanidade.
E pensando agora, talvez ela saiba mesmo. Talvez ela consiga ver o futuro onde eu cheguei a duvidar que haveria. Quem sabe ela tenha visto que por trás daquela patética discussão sobre parmesão e barbecue tem uma chama de algo muito maior. Algo que começa como faísca e que não precisa ter fim. Algo que só olhos muito experientes podem ver. Mas naquela troca de olhares que durou alguns segundos e uma intimidade velada, eu pude ver também. Uma confissão de que nossos caminhos estão certos enquanto estiverem tão juntos. Abençoados por aquele sorriso e por aquela piscadela de vó.