quinta-feira, 14 de julho de 2011

milagre.



Não serei hipócrita aqui a ponto de dizer que era infeliz antes de você surgir. Isso é óbvio. A minha vida seguia um fluxo confortável e conhecido, nada que ameaçasse essa maré calma. Eu tinha uma promessa de futuro estável, uma rotina habilmente preenchida com o que eu mais gosto e sem tempo para outras bobagens. E estava muito bem assim.
Lembro-me de dizer, alguns dias antes de nós acontecermos, que amor não estava nos meus planos para o momento, que não era o período ideal para isso. Mas desde quando nós escolhemos o que ainda está por vir? Você veio aos poucos, tomando forma na minha cabeça. Fui vendo quem estava por trás de toda aquela marra vista no primeiro momento. Contrariando o que eu achava norma, foi-se criando sentimento aos poucos. Não daquela forma arrebatadora que eu estava acostumada. Mas de um jeito calmo, como pedia o momento. Você foi ganhando espaço em cada semelhança descoberta, em cada sorriso meu que escapava de minha boca. Quando dei por mim, aqui estava você. Não ocupando mente, corpo e coração, como já aconteceu um dia. Mas de um jeito muito mais maduro e muito mais tranquilo. Está aqui lado ao lado, dividindo o peso do mundo com meus ombros, tornando a caminhada cada dia mais leve. Peso que hoje consigo carregar sozinha também, à propósito.

'say what you need to say'

Nenhum comentário:

Postar um comentário