domingo, 14 de agosto de 2011

dress.



Não conseguiria, nem que eu tentasse, me lembrar de quando eu me apaixonei por você. Sempre imaginei que seria algo tão surreal que anjos desceriam do céu tocando cornetas e anunciando um milagre. Mas claro que não foi assim. Muito longe disso, por sinal.
Foi em algum momento entre a preocupação com a minha recuperação e os planos para o feriado. Ou então, quando eu comecei a perceber que as lágrimas não são só sinais de fraqueza. Talvez tenha sido depois de passar três dias inteiros começando a acreditar no que tinha me dito um tempo atrás. Quem sabe tenha sido no meio de nossas muitas exibições de teimosia, entre uma tentativa ou outra de evitar brigas desnecessárias. Ou quando você me deixou falando sozinha e surgiu com o maior pote de pipoca que eu já vi. Talvez, quando me disse que eu surgi na hora certa. Ou quando me contou seus medos.
Realmente, eu não sei precisar. Só tenho certeza que foi a soma desses e de vários outros momentos. Só me faz ter certeza que foi na hora certa, no momento certo, com a pessoa certa.


'e que se dane o mundo, eu só quero você'

Nenhum comentário:

Postar um comentário