quinta-feira, 27 de outubro de 2011

the night before birthday



E não eram borboletas no estômago ou friozinho na barriga. Como se eu tivesse consciência mesmo dormindo, era um suor frio. Desses ruins, desses de dar um aperto no peito. Desses de querer correr e não ter para onde ir.
Felizes os cinco segundos que se passaram depois que despertei. Os cinco segundos em que eu acreditei piamente que deveria continuar correndo e que mais hora menos hora a campainha iria tocar e tudo viraria normal, certo.
Mas você entenderia de primeira. Almas se reconhecem, certo? Se entendem. E uma mínima proximidade faria tudo desandar, correr de volta ao mar.


'Quando pensava em parar, o telefone tocou. Então uma voz que eu não ouvia há muito tempo, tanto tempo que quase não a reconheci (mas como poderia esquecê-la?),uma voz amorosa falou meu nome, uma voz quente repetiu que sentia uma saudade enorme, uma falta insuportável, e que queria voltar…'
Tati Bernardi

Nenhum comentário:

Postar um comentário